sexta-feira, 29 de junho de 2018

Lista de Espécies do Jardim Tupiniquim

Se você mora em casa, e já tem alguma vegetação no seu jardim...não saia arrancando tudo. Alguns arbustos por exemplo podem fazer parte da flora do local (são nativos), e outros podem servir de alimento para alguns insetos, que irão preferir essas plantas que já estavam no local ao invés de suas plantas novas. Isso contribui com o equilíbrio ecológico! 

Dica: A Mata Atlântica é muito extensa e rica, são muitas espécies!  E por isso eu procuro utilizar as que são mais acostumadas ao clima aqui do litoral sul...assim valorizo ainda mais a flora local e não tenho problemas com o cultivo, o que para alguém que está começando facilita muito. Todas as espécies que cultivo estão plantadas em vasos.

LEMBRE-SE: Não retire plantas da natureza, procure floriculturas e vendedores com mudas certificadas!


Lista de espécies cultivadas no meu jardim e presentes na Mata Atlântica (para maiores detalhes de cada espécie, como outros biomas que ocorrem, consulte as outras postagens):


Bromélias

Nome Popular: Abacaxi ornamental
Nome Científico: Ananas bracteatus

Nome Popular: Bromélia Caraguatá
Nome Científico: Bromelia Balansae

Nome Popular: Bromélia Caraguatá
Nome Científico: Bromelia Antiacantha

Nome Popular: Bromélia Nidularium
Nome Científico: Nidularium innocentii

Nome Popular: Bromélia Nidularium
Nome Científico: Nidularium amazonicum

Nome Popular: Bromélia Nidularium
Nome Científico: Nidularium procerum

Nome Popular: Bromélia Pitcairnia
Nome Científico: Pitcairnia flammea

Nome Popular: Bromélia Vriesea
Nome Científico: Vriesea fosteriana

Nome Popular: Bromélia Vriesea
Nome Científico: Vriesea incurvata

Nome Popular: Bromélia Vriesea
Nome Científico: Vriesea guttata

Nome Popular: Bromélia Vriesea
Nome Científico: Vriesea platynema

Nome Popular: Bromélia Vriesea
Nome Científico: Vriesea fenestralis

Nome Popular: Bromélia Vriesea
Nome Científico: Vriesea psittacina

Nome Popular: Bromélia Vriesea
Nome Científico: Vriesea philippo-coburgii

Nome Popular: Bromélia Vriesea
Nome Científico: Vriesea flamea

Nome Popular: Bromélia Vriesea
Nome Científico: Vriesea gigantea

Nome Popular: Bromélia Vriesea
Nome Científico: Vriesea vagans

Nome Popular: Bromélia Vriesea
Nome Científico: Vriesea hieroglyphica

Nome Popular: Bromélia Vriesea
Nome Científico: Vriesea pastuchoffiana

Nome Popular: Bromélia-Alcantarea
Nome Científico: Alcantarea vinicolor

Nome Popular: Bromélia-imperial
Nome Científico: Alcantarea imperialis

Nome Popular:Bromélia Aechmea
Nome Científico: Aechmea blumenavii

Nome Popular:Bromélia Aechmea
Nome Científico: Aechmea calyculata

Nome Popular:Bromélia Aechmea
Nome Científico: Aechmea cylindrata

Nome Popular:Bromélia Aechmea
Nome Científico: Aechmea distichantha

Nome Popular:Bromélia Aechmea
Nome Científico: Aechmea ornata

Nome Popular:Bromélia Aechmea
Nome Científico: Aechmea recurvata

Nome Popular:Bromélia Aechmea
Nome Científico: Aechmea fasciata

Nome Popular: Bromélia Palito-de-Fósforo
Nome Científico: Aechmea gamosepala

Nome Popular: Bromélia Aechmea
Nome Científico: Aechmea kertesziae

Nome Popular: Bromélia Aechmea
Nome Científico: Aechmea winkleri

Nome Popular: Bromélia Aechmea
Nome Científico: Aechmea caudata

Nome Popular: Bromélia Aechmea
Nome Científico: Aechmea nudicaulis

Nome Popular: Bromélia Aechmea
Nome Científico:Aechmea fosteriana

Nome Popular: Bromélia Aechmea
Nome Científico: Aechmea comata

Nome Popular: Bromélia Aechmea
Nome Científico: Aechmea ornata

Nome Popular: Bromélia Billbergia
Nome Científico: Billbergia amoena

Nome Popular: Bromélia Billbergia
Nome Científico: Billbergia distachia

Nome Popular: Bromélia Billbergia
Nome Científico: Billbergia zebrina

Nome Popular: Bromélia Billbergia
Nome Científico: Billbergia nutans

Nome Popular: Bromélia Billbergia
Nome Científico: Billbergia alfonsi-joannis

Nome Popular: Bromélia Guzmania
Nome Científico: Guzmania sanguinea

Nome Popular: Bromélia Edmundoa
Nome Científico: Edmundoa lindenii

Nome Popular: Bromélia Hohenbergia
Nome Científico: Hohenbergia augusta

Nome Popular: Bromélia Dyckia
Nome Científico:Dyckia encholirioides

Nome Popular: Bromélia Dyckia
Nome Científico:Dyckia brevifolia

Nome Popular: Bromélia Neoregelia
Nome Científico: Neoregelia marmorata

Nome Popular: Bromélia Neoregelia
Nome Científico: Neoregelia compacta

Nome Popular: Bromélia Neoregelia
Nome Científico: Neoregelia laevis

Nome Popular: Bromélia Neoregelia
Nome Científico: Neoregelia zonata

Nome Popular: Bromélia Neoregelia
Nome Científico: Neoregelia ampullacea

Nome Popular: Bromélia Neoregelia
Nome Científico: Neoregelia pauciflora

Nome Popular: Bromélia Neoregelia
Nome Científico: Neoregelia tigrina

Nome Popular: Bromélia Neoregelia
Nome Científico: Neoregelia cruenta

Nome Popular: Bromélia Tillandsia
Nome Científico: Tillandsia aeranthos

Nome Popular: Bromélia Tillandsia
Nome Científico: Tillandsia gaertneri

Nome Popular: Bromélia Tillandsia
Nome Científico: Tillandsia geminiflora

Nome Popular: Bromélia Tillandsia
Nome Científico: Tillandsia mallemontii

Nome Popular: Bromélia Tillandsia
Nome Científico: Tillandsia recurvata

Nome Popular: Bromélia Tillandsia
Nome Científico: Tillandsia stricta

Nome Popular: Bromélia Tillandsia
Nome Científico: Tillandsia usneoides

Orquídeas

Nome Popular: Orquídea Laelia Purpurata
Nome Científico: Cattleya purpurata

Nome Popular: Orquídea Cattleya-Porphyroglossa
Nome Científico: Cattleya porphyroglossa

Nome Popular: Orquídea Cattleya-Neokautskyi
Nome Científico: Cattleya neokautskyi

Nome Popular: Orquídea-Cattleya-Forbesii
Nome Científico: Cattleya forbesii

Nome Popular: Orquídea-Cattleya-Guttata
Nome Científico: Cattleya guttata

Nome Popular: Orquídea-Cattleya-Intermedia
Nome Científico: Cattleya intermedia

Nome Popular: Orquídea-Cattleya-Leopoldii
Nome Científico: Cattleya leopoldii

Nome Popular: Orquídea-Cattleya-Loddigesii
Nome Científico: Cattleya loddigesii

Nome Popular: Orquídea-Cattleya-Labiata
Nome Científico: Cattleya labiata

Nome Popular: Orquídea-da-praia, Sumaré-da-praia
Nome Científico: Epidendrum fulgens

Nome Popular: Orquídea-epidendrum
Nome Científico: Epidendrum denticulatum

Nome Popular: Orquídea-epidendrum
Nome Científico: Epidendrum secundum

Nome Popular: Orquídea Sophronitis
Nome Científico: Sophronitis coccinea

Nome Popular: Orquídea Sophronitis
Nome Científico: Sophronitis cernua

Nome Popular: Orquídea Sophronitis
Nome Científico: Sophronitis mantiqueirae

Nome Popular: Orquídea Maxillaria
Nome Científico: Maxillaria picta/Brasiliorchis picta

Nome Popular: Orquídea Miltonia
Nome Científico: Miltonia regnellii

Nome Popular: Orquídea Acianthera
Nome Científico: Acianthera strupifolia

Nome Popular: Orquídea Cirrhaea
Nome Científico: Cirrhaea fuscolutea

Nome Popular: Orquídea Oncidium
Nome Científico: Gomesa gardneri/Oncidium gardneri

Nome Popular: Orquídea Oncidium
Nome Científico: Oncidigium gravesianum/Gomesa praetexta

Nome Popular: Orquídea Oncidium Chuva-de-ouro
Nome Científico: Oncidium flexuosum/Gomesa flexuosa

Nome Popular: Orquídea Oncidium
Nome Científico: Oncidium jonesianum/Trichocentrum jonesianum

Nome Popular: Cyrtopodium polyphyllum
Nome Científico: Cyrtopodium polyphyllum

Nome Popular: Orquídea Baunilha
Nome Científico: Vanilla chamissonis

Nome Popular: Orquídea Bifrenaria
Nome Científico: Bifrenaria harrisoniae

Frutíferas: 

Nome Popular:Tomatinho do mato
Nome Científico: Solanum diploconos

Nome Popular: Mirtilo brasileiro/Pixirica
Nome Científico: Clidemia hirta

Nome Popular: Framboesa silvestre/Morango silvestre
Nome Científico: Rufus rosifolius

Nome Popular: Juá-rasteiro/Mocojo-bobo
Nome Científico: Lycianthes asarifolia

Nome Popular: Juá-uva
Nome Científico: Solanum santaecatharinae

Nome Popular: Cereja-do-Rio-Grande
Nome Científico: Eugenia involucrata

Nome Popular: Catuaba/Catiguá
Nome Científico: Trichilia catigua 

Nome Popular: Guamirim-de-flor-rosa
Nome Científico: Calyptranthes concinna

Nome Popular: Pitanga-Lisa-Preta-Selvagem
Nome Científico: Eugenia nutans

Nome Popular: Jabuticaba
Nome Científico: Plinia cauliflora

Nome Popular: Grumixama, Cumbixaba, Comichã
Nome Científico: Eugenia brasiliensis

Nome Popular: Araçá-comum, Araçá-amarelo, Araçá-vermelho
Nome Científico: Psidium cattleianum

Nome Popular: Guabiju/Guabiroba-açú
Nome Científico: Myrianthes pungens

Nome Popular: Cerejeira-Anã, Pitanguinha, Cambuí-rasteiro
Nome Científico: Eugenia mattosii

Nome Popular: Maracujá-doce
Nome Científico: Passiflora alata

Nome Popular: Caju
Nome Científico: Anacardium occidentale

Nome Popular: Ingá-de-vaso, Ingá-de-flor-rosa
Nome Científico: Inga vulpina

Nome Popular: Bacopari, Bacopari-miúdo
Nome Científico: Garcinia brasiliensis

Nome Popular: Uvaia, Uvalha, Ubaia
Nome Científico: Eugenia pyriformis (Não indicada para vasos)

Nome Popular: Uvaia do campo
Nome Científico: Eugenia lutescens (Pode ser plantada em vasos)

Nome Popular: Fruta-do-sabiá
Nome Científico: Acnistus arborescens

Nome Popular: Palmito-juçara
Nome Científico: Euterpes edulis

Nome Popular: Goiaba-Serrana/Feijoa
Nome Científico: Acca sellowiana

Nome Popular: Cambuci 
Nome Científico: Campomanesia phaea

Nome Popular: Gabiroba da restinga
Nome Científico: Campomanesia littoralis

Nome Popular: Grumixama-anã
Nome Científico: Eugenia itaguahensis

Nome Popular: Inga Dourado
Nome Científico: Inga congesta

Ornamentais Não-Frutíferas

Nome Popular: Fitonia/Planta-mosaico
Nome Científico: Fittonia albivenis/Fittonia verschaffeltii


Nome Popular: Diadema/Rabo-de-Cotia
Nome Científico: Stifftia chrysantha

Nome Popular: Afelandra/Planta-Zebra
Nome Científico: Aphelandra squarrosa

Nome Popular: Triális/Resedá Amarelo
Nome Científico: Galphimia brasiliensis

Nome Popular: Ruelia Azul
Nome Científico: Ruellia simplex/Ruellia brittoniana

Nome Popular: Flor-aranha, Mussambê, Sete-Marias
Nome Científico: Cleome houtteana/Cleome hassleriana

Nome Popular: Farroupilha
Nome Científico: Justicia floribunda/Justicia rizzinii

Nome Popular: Onze-horas/Portulaca
Nome Científico: Portulaca grandiflora

Nome Popular: Ora-Pro-Nóbis
Nome Científico: Pereskia aculeata

Nome Popular: Amarílis
Nome Científico: Hippeastrum reginae

Nome Popular: Amarílis
Nome Científico: Hippeastrum striatum/ Amaryllis striata

Nome Popular: Amarílis
Nome Científico: Hippeastrum reticulatum

Nome Popular: Amarílis
Nome Científico: Eithea blumenavia/ Hippeastrum blumenavia/ Amaryllis blumenavia

Nome Popular: Amarílis
Nome Científico: Hippeastrum harrisoni/Hippeastrum vittatum/Amaryllis vittata

Nome Popular: Rabo-de-Arara
Nome Científico: Scwartzia/Norantea brasiliensis

Nome Popular: Begônia-Metálica
Nome Científico: Begonia aconitifolia

Nome Popular: Begonia Maculata
Nome Científico: Begonia maculata

Nome Popular: Ruelia Vermelha ou Rosa
Nome Científico: Ruellia elegans

Nome Popular: Ruélia-azul
Nome Científico: Ruellia simplex/Ruellia coerulea

Nome Popular: Semânia
Nome Científico: Seemannia sylvatica/Gloxinia sylvatica

Nome Popular: Peperômia
Nome Científico: Peperomia caperata

Nome Popular: Peperômia
Nome Científico: Peperomia obtusifolia

Nome Popular: Peperômia
Nome Científico: Peperomia serpens/scandens

Nome Popular: Azulzinha
Nome Científico: Evolvulus glomeratus

Nome Popular: Pacová, Babosa-de-Pau
Nome Científico: Philodendron martianum

Nome Popular: Filodendro-Pendente/Brasil
Nome Científico: Philodendron hederaceum

Nome Popular: Xanadu, Filodendro Xanadu
Nome Científico: Thaumatophyllum/Philodendron xanadu

Nome Popular: Heliconia Bico-de-Papagaio, Caeté
Nome Científico: Heliconia farinosa/Heliconia velloziana

Nome Popular: Heliconia-Papagaio
Nome Científico: Heliconia psittacorum

Nome Popular: Heliconia Vermelha, Caeté
Nome Científico: Heliconia angusta

Nome Popular: Íris-da-praia-azul, Falso-íris, Lírio-roxo-das-pedras
Nome Científico: Neomarica caerulea

Nome Popular: Íris-da-praia
Nome Científico: Neomarica candida

Nome Popular: Beri silvestre, Cana-da-Índia, 
Nome Científico: Canna indica

Nome Popular: Gengibre-azul, Marianinha
Nome Científico: Dichorisandra thyrsiflora

Nome Popular: Caliandra Vermelha, Esponjinha vermelha
Nome Científico: Calliandra tweedii

Nome Popular: Caliandra, Esponjinha
Nome Científico: Calliandra brevipes/Calliandra selloi

Nome Popular: Brinco-de-princesa
Nome Científico: Fuchsia regia

Nome Popular: Columéia-peixinho,
Nome Científico: Nematanthus wettseinii

Nome Popular: Manacá-da-serra-anão
Nome Científico: Tibouchina mutabilis

Nome Popular: Manacá-de-cheiro
Nome Científico: Brunfelsia uniflora

Nome Popular: Primavera, Bouganville
Nome Científico: Bougainvillea spectabilis

Nome Popular: Primavera, Bouganville
Nome Científico: Bougainvillea glabra

Nome Popular: Flor-de-São-Miguel, Petréia, Viuvinha
Nome Científico: Petrea volubilis 

Nome Popular: Lanterna-chinesa, Sininho
Nome Científico: Abutilon megapotamicum

Nome Popular: Lanterna-chinesa, Sininho
Nome Científico:Callianthe striata/Abutilon striatum

Nome Popular: Sino-amarelo
Nome Científico: Abutilon darwinii

Nome Popular: Orelha-de-onça
Nome Científico: Pleroma heteromallum/Tibouchina heteromallum/Tibouchina grandifolia

Nome Popular: Flor-de-maio
Nome Científico: Schlumbergera truncata


Nome Popular: Flor-de-outubro
Nome Científico: Hatiora rosea

Nome Popular: Coco-vedeliano, Palmeirinha-de-Petrópolis
Nome Científico: Lytocaryum weddellianum

Nome Popular: Lírio-do-vento Rosa, Lírio-das-chuvas Rosa
Nome Científico: Habranthus robustus

Nome Popular: Lírio-do-vento Branco, Lírio-das-chuvas Branco
Nome Científico: Zepyranthes candida

Nome Popular: Maranta-zebrina, Planta-zebra
Nome Científico: Calathea zebrina

Nome Popular: Maranta-Burle-Marx
Nome Científico: Ctenanthe burle-marxii

Nome Popular: Maranta-cascavel
Nome Científico: Goeppertia lancifolia/Calathea lancifolia

Nome Popular: Maranta-barriga-de-sapo
Nome Científico: Maranta leuconeura

Nome Popular: Maranta-cinza
Nome Científico: Ctenanthe setosa

Nome Popular: Maranta-sanguínea/ triostar
Nome Científico: Stromanthe thalia

Nome Popular: Calatéia Melancia
Nome Científico: Goeppertia orbifolia/Calathea rotundifolia

Nome Popular: Maranta-Pena-de-Pavão
Nome Científico: Goeppertia makoyana/Calathea makoyana

Nome Popular: Maranta Medalhão
Nome Científico: Goeppertia picturata

Nome Popular: Jacobínia ou Justícia Rosa
Nome Científico: Justicia carnea

Nome Popular: Jasmim de Leite ou de Cachorro
Nome Científico: Tabernaemontana laeta

Nome Popular: Cravo-do-campo-catarinense
Nome Científico: Trichocline catharinensis

Nome Popular: Cravo-do-campo-vermelho
Nome Científico: Trichocline macrocephala

Nome Popular: Cacto Tuna
Nome Científico: Parodia ottonis

Nome Popular: Suculenta Codonante
Nome Científico: Codonanthe gracilis

Nome Popular: Cacto correia, crucifixo ou canambaia
Nome Científico: Lepismium cruciforme/Rhipsalis cruciformis

Nome Popular: Lantana Cambará/Chumbinho
Nome Científico: Lantana camara

Nome Popular: Mini Lantana roxa
Nome Científico: Lantana fucata

Nome Popular: Mini Lantana branca
Nome Científico: Lantana undulata

Nome Popular: Mini lantana amarela
Nome Científico: Lantana montevidensis

E então? Vai utilizar alguma dessas belas plantas? Quais plantas não estão nessa lista e você gostaria de utilizar para sua região? Aos pouco irei acrescentar mais opções!

Heliconia psittacorum

Cattleya guttata

Tibouchina heteromallum

Lytocaryum weddellianum

Tem alguma dúvida ou sugestão?Escreva nos comentários!

3 comentários:

  1. Olá. Tenho o mesmo apreço que vc em relação as espécies nativas e seu cultivo. Porem já cai em algumas ciladas desse pensamento. Vou colocar alguns pontos, meio advogado do diabo. No sentido de dificuldades, principalmente se mantivermos um pensamento ambientalmente rígido, como eu eventualmente faço).
    Para escolhas de árvores, não existe dificuldades (as vezes apenas em conseguir mudas), mas para plantas herbáceas é um grande problema. A maioria de nossos biomas são florestais e favorecem plantas de sombra. Quando se quer, por exemplo herbpaceas de sol se costuma trazer espécies de um bioma para outro, e entendo que é a mesma coisa que trazer uma planta da Argentina (por exemplo), visto que fronteiras são algo do ser humano. Além do que, muitas espécies nativas, mas de outras regiões acabam se adaptando bem (as vezes mais até do que as exóticas) e se dispersando, podendo se tornar invasoras, caso a região que ela tenha sido plantada tenha áreas naturais ao redor (muito comum em casas de praia e condominios periféricos). Isso tbm vale para espécies nativas domesticadas, que podem proliferar e competir com a nativa original (plantas como Lantana e até bromélias) são melhoradas, mas algumas se mantém férteis e isso poderia ocasionar algum problema. Um outro exeplo é a Clusia, cuja a espécie mais cultivada é a C. fluminensis, que não ocorria em Estados como SP e atualmente são muito cultivadas por aqui, sendo que existem Clusias nativas (obviamnete, o ideal seria cada estado ou região cultivar as suas espécies regionais, mas isso é algo bem improvavel e até inviável...) - como disse para árvores isso já seria mais viável e mesmo assim não é feito.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá tudo bem?Obrigado pela preocupação e entendo o seu ponto.Mas se acompanhar meu trabalho no Youtube verá que eu dou foco no cultivo de plantas da região que cada pessoa mora. Essa lista é apenas para dar uma ajuda a quem quer cultivar plantas da região de cada um (por isso cada postagem tem um mapa). Pode parecer improvavel ou inviavel mas quem realmente tem o interesse em cultivar plantas da região irá encontrar as espécies que precisa (eu encontrei mais do que o suficiente para montar um jardim). Através de sementes, mudas por estacas e por aí vai...Outro ponto, a idéia é que as pessoas conheçam nossas espécies e deem mais valor. Eu mesmo cultivo espécies da minha cidade atraves de listas e observando o ambiente e as trilhas e as matas.A restinga está cheia de herbaceas preciosas...campos rupestres do Cerrado é a mesma coisa. As dificuldades existem mas podem ser superadas primeiramente através da divulgação de informação sobre algo que nem ao menos é mencionado...as plantas presentes no Brasil. Acredito que a partir daí você poderá ser mais específico. Abraço

      Excluir
  2. Sim, concordo plenamente com vc, acho a divulgação da nossa flora é de suma importância. E volto a frisar o insentivo ao uso principalmente (ou pelo menos) das árvores regionais.
    E aproveite seu trabalho de valorização do uso das nativas, alertando para que não façam coletas de plantas na natureza (ainda é muto comum áreas que bromélias e principalmente orquídeas foram devastadas por esta prática).
    Mas sim, falta ainda muito cultivo e valorização de nossas plantas. Mas também, infelizmente a maioria que cultivamos, fazemos híbridos ou selecionamos variedades que mais nos agradam e como falei, poderiam até trazer problemas para as selvagens. Outro dia, na minha região observei uma Acanthaceae lindissima, com um potencial absurdo para o cultivo, até descobrir q se tratava da Aphelandra squarrosa, uma planta muito cultivada e que sinceramente a forma cultivada (variegata) sempre achei com uma cara de planta artificial.
    E parabéns pelo seu trabalho

    ResponderExcluir