quinta-feira, 2 de junho de 2022

Guaimbê/Imbé (Thaumatophyllum bipinnatifidum/Philodendron bipinnatifidum)

 



Família: Araceae

Ocorrências confirmadas: Cerrado, Mata Atlântica e Pampa.

Modificado: portal REFLORA

Local de cultivo: Meia-sombra , sol pleno (acostumar as plantas aos poucos) ou ambiente sombreado.

Substrato: Terra rica em matéria orgânica. Também aceita substratos pedregosos, se desenvolve sobre troncos de árvores desde que tenha terra embaixo para a nutrição das raízes, ou ainda ambientes brejosos e alagados.

Rega: Frequentes (regar novamente quando o solo estiver secando)


Guaimbê em vaso.

Guaimbê em jardim.

Guaimbê enorme a pleno sol. (Foto: Pedro Garcia)


Algumas pessoas confundem o Guaimbê desse post (sim existem outras plantas com o nome Guaimbê) com uma planta exótica (que não ocorre naturalmente no Brasil) chamada Costela-de-Adão e nome científico Monstera deliciosa que apresenta furos nas folhasEssa última também é bem popular no paisagismo e é cada vez mais usada porém já é considerada invasora (que ocupa o ambiente e impede outras plantas de se desenvolver no local) em diversas ilhas do Caribe. 


Folhagem da Costela-de-adão Monstera deliciosa


Folhagem do lindo Guaimbê, nativo do Brasil

Mesmo no Brasil quem cultiva essa planta no chão sabe como ela se espalha muito e é uma possível invasora de diversos ambientes aqui também. Sendo assim por que não utilizar o Guaimbê que é tão lindo quanto? Se for cultivar a Costela-de-Adão (Monstera deliciosa) pelo menos faça o cultivo em vaso, isso vai ajudar a não espalhar a espécie em ambientes naturais. 
Espécies invasoras são a segunda maior causa de extinções de espécies no planeta e isso afeta diretamente a nossa economia e saúde!
Uma outra opção substituta da Costela-de-Adão (Monstera deliciosa)  é a linda espécie brasileira Imbé-rasgado (Monstera Adansonii) que já pode ser encontrado nas floriculturas e garden centers. Ela também apresenta os furos nas folhas.  

Monstera adansonii em vaso nativa do Brasil


Algumas pessoas confundem o Guaimbê desse post (sim existem outras plantas com o nome Guaimbê) com uma planta exótica (que não ocorre naturalmente no Brasil) chamada Costela-de-Adão e nome científico Monstera deliciosa. Essa última também é bem popular no paisagismo e é cada vez mais usada porém já é considerada invasora (que ocupa o ambiente e impede outras plantas de se desenvolver no local) em diversas ilhas do Caribe. 

                Tem alguma dúvida ou sugestão? Escreva nos comentários!

segunda-feira, 21 de março de 2022

Jabuticaba Branca (Plinia phitrantha/Plinia aureana)

 

(Foto: Pedro Garcia)

Família: Myrtaceae

Ocorrências confirmadas: Mata Atlântica

Modificado: Portal REFLORA

Local de cultivo: Meia sombra

Substrato: Terra adubada rica em matéria orgânica

Rega: Frequente


OBS: Essa espécie é excelente para cultivo em vasos...e quando cultivada dessa forma ela produz ainda mais cedo do que quando plantada no chão (leva de 2 a 3 anos apenas).

Jabuticaba-branca em vaso (Foto: Pedro Garcia)

Frutos maduros (Foto: Pedro Garcia)

segunda-feira, 2 de agosto de 2021

Ingá-anão-de-flor-rosa (Inga vulpina)

Foto: Pedro Garcia

Família: Fabaceae 

Ocorrências confirmadas: Mata Atlântica, Cerrado

Modificado: Portal REFLORA

Local de cultivo:  De preferência a Sol Pleno (pelo menos 6 horas diárias de sol direto) ou caso não seja possível cultive à Meia-sombra

Substrato: Terra adubada rica em matéria orgânica (sendo 20% da mistura de areia de construção)

Rega: Frequente


OBS: Por ser uma árvore que na natureza cresce de 2 a 5 metros essa linda espécie de frutos comestíveis pode ser plantada em vasos (é como cultivo a minha no momento) inclusive também sendo conhecida também como Ingá-de-vaso.

Inga vulpina em vaso (Foto: Pedro Garcia)

Frutos imaturos de Inga vulpina (Foto: Pedro Garcia)












terça-feira, 9 de fevereiro de 2021

Orquídea Cattleya (Cattleya neokautskyi/Laelia kautskyi/Dungsia kautskyi)

 


Família: Orchidaceae

Ocorrências confirmadas: Mata Atlântica (Espírito Santo)

Fonte: Modificado de Portal Reflora

Local de cultivo: Meia-sombra com média a alta luminosidade (pode utilizar sombrite de 50%). Você pode levar para dentro de casa quando está com flor, mas depois deve retornar ao ambiente original.

Substrato: Planta em vaso com furos para orquídeas, pode utilizar substrato para orquídeas (que vem com mix de diversos materiais) e misturar com pedra brita se tiver disponível.

Rega: Esse é um dos fatores mais importantes pra uma orquídea, você deve regar uma vez e quando o substrato e raízes estiverem seco regar novamente. Na estações quentes dependendo do cultivo a rega deverá ser diária! Você pode borrifar água na sua orquídea nos dias mais quentes e secos, elas irão apreciar. 

Vídeo: Infelizmente existe apenas um único vídeo disponível que mostra essa espécie

OBS: Se for deixar em vaso a céu aberto e você morar em local que chove muito como aqui no Sul, talvez você tenha que mover a planta para um local coberto até a chuva passar. Quase perdi as minhas depois que pegaram 3 dias seguidos de chuva! Resolvi esse problema substituindo o vaso de plástico por cachepots de madeira nobre (esses resistem às chuvas) colocando um pouco de carvão. Observe a foto: 



 Tem alguma dúvida ou sugestão? Escreva nos comentários!



domingo, 13 de dezembro de 2020

Norantea/Rabo-de-Arara (Schwartzia brasiliensis/Norantea brasiliensis)

 


Família: Marcgraviaceae

Ocorrências confirmadas: Cerrado e Mata Atlântica
Local de cultivo: Sol Pleno. Sabe aquele ambiente que pega muito sol na sua casa, bate muito vento e que as outras plantas têm dificuldade de se desenvolverem e ficarem bonitas? A Norantea é uma ótima pedida para esses locais com condições mais árduas!

Substrato: Terra adubada misturada com um pouco de areia de construção

Rega: Moderada (aqui em casa ela vive com a água da chuva mesmo)


OBS: A Norantea é uma planta trepadeira sem espinhos que irá se apoiar em muros e se espalhar. Porém você pode cultivá-la como um arbusto realizando podas de contenção.




 Tem alguma dúvida ou sugestão? Escreva nos comentários!





domingo, 6 de dezembro de 2020

Bromélia Aechmea (Aechmea caudata)

 



Família: Bromeliacae

Ocorrências confirmadas: Mata Atlântica

Fonte: Modificado de Reflora

Local de cultivo: Sombra ou Meia-sombra 

Substrato: Planta epífita (vive sobre troncos e galhos de árvores), rupícola (em pedras com matéria orgânica acumulada) ou terrícola. Existem diversas misturas prontas  envolvendo casca de pinus, pedaços de carvão, brita entre outros materiais. Utilize o que for mais fácil pra você.

Rega: Isso depende do local e da época do ano, aqui no sul quando o tempo está chuvoso e úmido rego moderadamente...e já nos dias mais quentes e secos rego com maior frequência.




Aechmea caudata variedade variegata

 Tem alguma dúvida ou sugestão? Escreva nos comentários!

sábado, 10 de outubro de 2020

Flor-de-Outubro Vermelha/Flor-da-Primavera Vermelha (Schlumbergera gaertneri)


Família: Cactaceae

Ocorrências confirmadas: Mata Atlântica (Região Sul)

Fonte: Modificado de REFLORA

Substrato: Essa planta é uma epífita então pode-se utilizar substratos para orquídeas. Não utilize substratos que acumulem água, ele deve ser bem drenante!
ATENÇÃO: Em ambiente úmidos como a minha região a única forma que consegui cultivar essa planta até agora foi em uma vaso de cerâmica (que não retém muita água....o de plástico não funcionou) e utilizei brita. Sim...apenas plantada na brita e com sachês de adubo orgânico (utilizo o bokashi que é o mesmo que utilizo para minhas orquídeas) ela sobreviveu e está florescendo. As outras que plantei em terra ou em vaso de plástico eu perdi. Lembrando que minha flor de Outubro pega chuva.

Rega: Regar pouco (dependendo da sua região e da época do ano, aqui em Florianópolis é muito úmido rego uma vez por semana quando está calor, e no outono e inverno a rega é mais espaçada pois demora mais pra secar a terra). 

Vídeo comparando com a Flor de Outubro Rosa: https://www.youtube.com/watch?v=WtEi47EuAJs&t=131s

OBS: A Flor de Outubro lembra muito a outra espécie que é a Flor de Maio, porém as folhas são um pouco diferentes e a época de floração também. Para ver um vídeo da comparação entre as duas clique no linkhttps://www.youtube.com/watch?v=005KhYYIvGI&t=42s



Tem alguma dúvida ou sugestão? Escreva nos comentários!




segunda-feira, 7 de setembro de 2020

Orquídea Sophronitis (Sophronitis/Cattleya mantiqueirae)

 


Família: Orquidaceae

Ocorrências confirmadas: Mata Atlântica

Estados brasileiros com ocorrência nativa da espécie (Fonte: KewScience)

Local de cultivo: Meia-sombra com média a alta luminosidade (pode utilizar sombrite de 50% em um local que bata muito sol direto). Você pode levar para dentro de casa quando está com flor, mas depois deve retornar ao ambiente original.

Substrato: A maioria dos cultivos eu vejo em tronquinhos ou leques de madeira, mas também pode ser cultivadas em vasos de cerâmica com substrato para orquídeas.

Rega: Esse é um dos fatores mais importantes pra uma orquídea, você deve regar uma vez e quando o substrato e raízes estiverem seco regar novamente. Na estações quentes dependendo do cultivo a rega deverá ser diária! Você pode borrifar água na sua orquídea nos dias mais quentes e secos, elas irão apreciar. 

OBS: No geral as Sophronitis gostam de ambiente úmido porém cuidado se seu orquidário for aberto e pegar chuva, se plantar em tronco e usar esfagno utilize bem pouco ou nenhum pois com chuvas diretas sua planta pode apodrecer. O esfagno segura a umidade, por isso utilize com cuidado com essas pequeninas!



Cuidado: Se for deixar em vaso a céu aberto e você morar em local que chove muito como aqui no Sul, talvez você tenha que mover a planta para um local coberto até a chuva passar. Quase perdi as minhas depois que pegaram 3 dias seguidos de chuva! Resolvi esse problema substituindo o vaso de plástico por cachepots de madeira nobre (esses resistem às chuvas) colocando um pouco de carvão. Observe a foto: 
Foto: Pedro Garcia





Tem alguma dúvida ou sugestão? Escreva nos comentários!

















domingo, 6 de setembro de 2020

Portulaca/ Onze-horas (Portulaca grandiflora)

               


Família: Portulacacae

Ocorrências confirmadas: Mata Alântica, Cerrado, Caatinga, Pampa

Nas regiões em verde: Nativa/ Nas regiões em roxo: Introduzida (Fonte: modificado de KewScience)

Local de cultivo: Sol pleno (quanto mais sol mais flores)

Substrato: Arenoso (terra bem adubada rica em matéria orgânica misturada a pelo menos 1/3 - 1/2 de areia de construção)

Rega: Por ser uma planta suculenta deve-se regar pouco.

Video:https://www.youtube.com/watch?v=3sc51igfoow



Portulaca grandiflora variedade de flores dobradas

Tem alguma dúvida ou sugestão? Escreva nos comentários!